A história do surgimento do petróleo

A história do surgimento do petróleo
BIOLOGIA

Há várias hipóteses sobre como o petróleo surgiu. A mais aceita foi que o petróleo surgiu de restos de matéria orgânica, bactérias, produtos nitrogenados e sulfurados e que ele é consequência da transformação dessa matéria orgânica acumulada no fundo dos oceanos e mares, sofrendo transformações químicas durante milhões de anos, sob a pressão das camadas de sedimentos, que foram se depositando e formando rochas sedimentares.

Pesquisas nesta área revelam que a utilização do petróleo vem de aproximadamente 4000 a.C. Povos a exemplo da Mesopotâmia, entre outros, utilizavam-no em seu cotidiano. O petróleo era conhecido já na antiguidade, por meio de grandes reservas frequentes no Oriente Médio.

Calcula-se que os recursos petrolíferos localizados no Oriente Médio sejam de aproximadamente 2/3 das reservas mundiais. Há muitos anos, no início da era cristã, os árabes davam ao petróleo fins bélicos e de iluminação.

As maiores reservas de petróleo do mundo situam-se no Oriente Médio, logo, este é o maior produtor e exportador petrolífero. Devido a sua importância comercial, tanto para indústrias energéticas como para matérias-primas, o Oriente Médio é uma área estratégica e economicamente importante para o planeta.

Em meados de 1850, a indústria petrolífera se modernizou e James Young, na Escócia, descobriu que o petróleo poderia ser extraído do carvão e do xisto betuminoso, criando processos de refinação. Em 1859, um americano chamado Edwin Drake perfurou na Pensilvânia um poço à procura de petróleo, que possuía grande quantidade para extração. Esse poço foi descoberto em uma região de pouca profundidade, de aproximadamente 21 metros, ao contrário das perfurações de hoje, que superam os 6.000 metros. A produção dos EUA que era de dois mil barris em 1859, elevou para dez milhões em 1874.

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) colocou em evidência a importância estratégica do petróleo e pela primeira vez foi usado o submarino com motor diesel, e o avião surgiu como nova arma. A alteração do petróleo em utilizações de guerras e uso de seus derivados – época em que a indústria automobilística começava a ganhar destaque também – fizeram com que o controle deste virasse questão de interesse nacional. O governo americano passou a incentivar empresas do país a operarem no exterior.

Em 1960, por iniciativa dos grandes produtores de petróleo do Oriente Médio junto com a Venezuela, foi criado a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) que possui membros como: Arábia Saudita, Irã, Iraque, Catar, Kuwait e Emirados Árabes, todos do Oriente Médio; Equador e Venezuela na América do Sul; Nigéria, Argélia, Líbia e Gabão da África; e Indonésia da Ásia.

A OPEP, localizada em Viena, capital da Áustria, tem o objetivo de integrar a política petrolífera dos países-membros, fornecer a estes ajuda econômica, controlar preço e produção no mercado. Atualmente, a OPEP possui novos países-membros como a Angola. A Indonésia, em 2009, suspendeu sua adesão.

De 1967-1968 foi criada a OPAEP (Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo) que, na década de 80, reunia vários países-membros como: Emirados Abu Dabi e Dubai, Argélia, Bahrein, Egito, Iraque, Kuwait, Líbia, Síria, Arábia Saudita e Catar.

Mesmo essa organização tendo grande e importante papel, a OPEP ainda é maior no comércio mundial de petróleo. A OPAEP tem o objetivo de coordenar os interesses petrolíferos entre seus países-membros.

Desde que o petróleo foi descoberto, ele foi utilizado pela sociedade de maneira abundante e, somente em 1973, em represália à política norte-americana de apoio à causa de Israel nos conflitos no Oriente Médio, promoveram um boicote à venda do petróleo, diminuindo a produção e elevando os preços. Este momento foi conhecido como o primeiro “choque do petróleo”.

A partir deste choque até o início dos anos 80, os países-membros da OPEP passaram por um período de lucros devido ao grande aumento do preço do petróleo e os maiores prejudicados com este acontecimento foram os EUA, Holanda e Portugal que dependiam deste recurso. Depois dos anos 80, houve uma retração no mercado petrolífero devido à diminuição do consumo dos países importadores.

No final da década de 70 e início dos anos 80 houve o segundo choque do petróleo devido à Revolução Iraniana que dispara os preços, desvalorizando o dólar. No ano de 1980 houve a Guerra Irã/Iraque por Saddam Hussein contra o novo regime adotado pelo Irã, e este favoreceu também a elevação dos preços do petróleo.

Outros motivos, como a divisão das águas do Chatt-el-Arab, recuperação das terras para o Irã em 1975 e o movimento de separatismo dos curdos também levaram a eclosão dessa guerra. Nessa guerra morreu, aproximadamente, um milhão de pessoas, tanto iranianos como iraquianos.

O mundo viveu de trinta anos para cá dois choques no preço do petróleo: o de 1973 (Quando os países produtores cessaram as exportações aos EUA) e o de 1979 (devido à revolução iraniana) Nesses dois momentos, a elevação do preço do petróleo teve motivos ligados ao interesse de alguns países e interesses políticos e também tensões entre países. Estamos vivendo a atual crise do petróleo, e seu preço sobe por problemas de aumento da demanda e falta de estoque, motivos econômicos e interesses políticos entre os países-membros da OPEP.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira os cursos de Logística de Petróleo e Petróleo e Gás, e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER