Conceitos e tipos de Surdez

Conceitos e tipos de Surdez
EDUCACAO-FISICA
A Deficiência Auditiva traz graves dificuldades na vida de uma pessoa, umas delas pode ocorrer no desenvolvimento do funcionamento normal dos processos auditivos; outra dificuldade pode ocorrer em nível das experiências sociais, já que a comunicação é um instrumento muito importante de interação social e emocional.

O conceito mais usualmente empregado para designar as pessoas com deficiência auditiva é a perda total ou parcial, congênita ou adquirida, da capacidade de compreender a fala através do ouvido.

Alguns autores fazem distinção (no que se refere à surdez adquirida) em termos etários, classificando-a da seguinte forma:

a) Pré-lingual - Ocorre quando a criança já nasce surda ou perde a audição antes do desenvolvimento da fala e da linguagem. É mais complexa para o desenvolvimento cognitivo da criança. De acordo com Camargo Neto (1996), a maioria das crianças surdas que perdeu a audição antes da aquisição da fala utiliza-se da língua de sinais.

b) Pós-lingual - Perdeu a audição após a aquisição e desenvolvimento da fala e da linguagem. Neste caso as crianças conseguem realizar a leitura labial.

A Deficiência Auditiva não ocasiona, necessariamente, atrasos no desenvolvimento motor, ainda que alguns autores afirmem que são frequentes as perdas de equilíbrio e coordenação geral, por problemas vestibulares, neurológicos, privação do som, ausência de verbalização e superproteção dos pais (BUENO, 1995).

O diagnóstico do nível de surdez com precisão só é possível com a audiometria, exame para avaliar o nível de surdez. A perda auditiva remanescente é medida em DECIBÉIS (dB). Quanto maior for o número de decibéis necessários para a criança responder a um som, maior e mais significativa será a perda auditiva.

Como nem sempre é possível submeter o indivíduo a audiometria, existem procedimentos que podem ajudar você a fazer uma classificação grosseira do tipo de surdez, com o intuito de facilitar seu primeiro entendimento do problema e encaminhar o seu aluno.

Estes procedimentos são: chamá-lo pelo nome; estalar os dedos ou bater palmas; deixar cair algo no chão com ruídos diferentes.

O sistema auditivo começa a evoluir a partir do 5º. Mês de gestação e se aperfeiçoa intensamente nos primeiros meses de vida, continuando a expandir suas conexões neurais por vários anos. A perda auditiva pode ser otimizada pela estimulação que deve iniciar aos 6 meses de idade.

Por conta disto, é importante que se tenha conhecimento de outros testes diagnósticos que podem ser feitos, antes ou associados à audiometria, considerando diferentes faixas etárias, a fim de perceber, quanto mais cedo melhor, problemas na audição:

• Nos primeiros dias de vida, Reflexo de Moro (reagir aos sons com um movimento brusco)

• 03 meses - Reflexo Cócleo-palpebral

• 06 meses - Reflexo de orientação-investigação

• 07 a 08 meses não reagir à voz e a linguagem.

Segundo Mauerberg-de Castro (2007), as perdas auditivas podem ser observadas através de vários comportamentos ligados aos aspectos cognitivos, quando a pessoa apresenta uma desatenção contínua; aos aspectos afetivos e sociais apresentados por comportamentos agressivos, ansiosos, de teimosia; e aspectos motores como equilíbrio insuficiente.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER