A História do Telefone

A História do Telefone
COTIDIANO
Você por acaso sabe quem foi o inventor do telefone? Alguma vez parou para pensar de onde ele surgiu ou como funciona esta surpreendente ferramenta de comunicação?

Esse invento teve como principal criador o escocês Alexander Graham Bell. Porém, no ano de 2002, uma disputa judicial por reconhecimento de patente culminou na aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos de uma resolução estabelecendo que, a partir daquela data, a invenção do telefone passaria a ser do italiano Antônio Santi Giuseppe Meucci.

Conheceremos agora um pouco sobre estas duas personalidades e lhe daremos um panorama da história do telefone, para que tenha a oportunidade de discutir, concordar e trocar informações sobre esses fatos da história.

Abaixo podemos observar que tudo começou na Itália, no ano de 1808.

1808 - Nasce na Itália Antônio Meucci.

1835
- Aos 27 anos, Antônio Meucci foi acusado e preso por envolvimentos políticos pela segunda vez; assim que posto em liberdade, emigrou para Cuba.

1847
- Nasce na Escócia Alexander Grahan Bell.

1849 -
Antônio Meucci, aos 41 anos, alega, em Cuba, efetuar a transmissão de voz por corrente elétrica e continua suas pesquisas aproximadamente até 1851.

1850
- Enquanto Grahan Bell completava três anos de idade, Meucci, com 42 anos, imigra para os Estados Unidos e, por se interessar por pesquisas científicas, descobre, ao acaso, como transmitir a voz humana por meio de um fio de cobre a distância e vai para os EUA, para aperfeiçoar seu “Telégrafo Falante”. Por aproximadamente 12 anos, até 1862, criou mais de 30 modelos de telefone, mas não os patenteava por falta de dinheiro.

1857
- Meucci abre uma fábrica de velas, para obter verbas e continuar suas pesquisas. Com isso instala o primeiro aparelho telefônico, ligando sua casa ao escritório da fábrica. Algum tempo depois sofre um acidente (explosão), e sua esposa, para conseguir dinheiro, vende quase todas as suas invenções. Mais tarde, para tentar reconstruir-se, pede ajuda ao especialista em eletricidade, Elisha Gray (um dos fundadores dos telégrafos da Western Telegraph Company).

1870 - Por ser filho de mãe surda, Grahan Bell adquiriu familiaridade com o aparelho fonador desde cedo. Seu pai trabalhava com treinamentos de deficientes auditivos e correção da fala, tendo Graham Bell como seu assistente. Aos 23 anos, Graham Bell muda-se para o Canadá, sem se esquecer do interesse pelo estudo do telefone, iniciado antes de sair da Escócia.

1872 -
Meucci tinha apenas um simples registro em cartório, datado de 1871, mencionando sua invenção. Aos 64 anos, arquiva um requerimento de patente, que alegava ter conseguido “empregar o efeito dos condutores metálicos contínuos como meio para o som, aumentando o efeito, ao se isolar o condutor e as partes que se comunicam, transformando-o em um telégrafo falador sem a necessidade de utilização de qualquer tubo oco”. Porém a falta de recursos financeiros e problemas de saúde o impediram de concluir a solicitação, e ele ficou apenas com uma patente provisória da invenção.

1873 -
Aos 26 anos, Grahan Bell tornou-se professor de Fisiologia Vocal na Universidade de Boston, onde começou um estudo sobre a transmissão de sons por impulsos elétricos e máquinas de comunicação. Além disso, abriu uma escola para deficientes auditivos, tornando-se especialista em linguagem gestual. Empenhou-se na produção de um telefone que promovesse a fala. Sempre envolvido com pesquisas e estudos na área da comunicação, dedicou-se ao aprimoramento dos telégrafos, pesquisando a possibilidade de transmitirem notas musicais, assim muitas mensagens poderiam ser enviadas por um mesmo fio. Porém, ele sabia que se conseguisse esse intuito, poderia também transmitir a voz humana.

Hubbard, pai de sua noiva, investigou e garantiu não haver nenhum registro de patente, porém Bell ficou sabendo que Gray, fundador da empresa de telégrafos, mantinha uma pesquisa de um aparelho com as mesmas características. Manuseando um telégrafo múltiplo, ou seja, aquele que pode enviar mais de uma mensagem na mesma linha, Grahan Bell diz ter obtido os princípios básicos para a criação do telefone, ao interpretar e entender que a voz humana poderia ser aprisionada ou armazenada como impulsos elétricos, ao se adaptar esse telégrafo múltiplo. Nesse mesmo ano, Meucci apresentou novos modelos que concebera ao Vice-presidente da Western Union Telegraphs, e, dois anos depois, Alexander Grahan Bell apresentava publicamente a mesma invenção.

1876 - Graham Bell, com 29 anos de idade, diz que experimentava um dos seus modelos de telefone com seu assistente Watson, que estava em outro cômodo, e a conexão não transmitia mensagens que pudessem ser entendidas. Ao derrubar os ácidos corrosivos de uma pilha em sua mesa de trabalho e em suas roupas, Graham Bell gritou pela ajuda do assistente, que disse ter ouvido a mensagem pelo telefone “que acabava de ter sido inventado”. Tinha urgência em patentear, pois sabia que Gray, como já dito, fundador da empresa de telégrafos que mantinha a mesma pesquisa, poderia antecipar-se a ele. Coincidentemente, Gray tentou entregar um pedido no escritório de patentes apenas duas horas após Graham Bell ter feito o seu. E foi assim que Alexander Graham Bell apresentou, na Filadélfia, sua mais nova invenção na Exposição do Centenário da Independência dos EUA: o primeiro telefone. Meucci, por sua vez, alegava ter vendido o protótipo a Graham Bell, que o patenteou como seu; então, Meucci o processa.

1881 - Após 5 anos, a Ericsson, empresa de tecnologia de controle sueco, fabricante de equipamentos de telefonia fixa e móvel, fundada em 1876, já comercializava aparelhos de parede. Em curto tempo, difundiu-se rapidamente. Graham Bell, apesar de ter tido a oportunidade, não optou pelos negócios e transferiu tudo aos sócios, ao assistente Watson e ao sogro Hubbard. Bell seguiu com a aprendizagem para os surdos e dedicou suas pesquisas à acústica.

1884 - O experimento de Meucci foi apresentado na exposição da Filadélfia, e mesmo incompleto, atraiu grande atenção.

1889 -Enquanto Graham Bell, no auge dos seus 42 anos de idade, é considerado o inventor do telefone, falece Meucci aos 81 anos, em meio ao processo de julgamento de sua patente, levando o caso ao esquecimento.

1897 - Após 21 anos do lançamento do primeiro aparelho, a Ericsson começou com a implantação dos primeiros terminais telefônicos de até 25 linhas. Até então, o aparelho telefônico não tinha um perfil caseiro. Ou seja, era utilizado apenas nas empresas como ferramenta de trabalho, substituindo aos poucos o telégrafo.

1922 - Alexander Graham Bell falece em Baddeck, no Canadá, aos 75 anos. Em sinal de luto, todos os telefones dos EUA ficaram em silêncio por 1 minuto em homenagem a ele.

1931
- Percebendo a probabilidade de êxito no mercado doméstico, a Ericsson lançou o modelo “Bakelite”, para ser utilizado nas residências. Você, com certeza, deve já ter visto em algum lugar um modelo igual ou réplica dele, pois seu design continua em evidência.

2002 -
Em 11 de junho desse ano, Antônio Santi Giuseppe Meucci é reconhecido oficialmente como o verdadeiro inventor do telefone pelo Congresso dos Estados Unidos da América, isso ocorreu após 113 anos de sua morte.

O Dia do Telefone é comemorado todo dia 10 de março. Foi neste dia, no ano de 1876, que Alexander Graham Bell, ao conseguir a patente, fez com que o telefone surgisse oficialmente.

A história sobre a descoberta do telefone nos indica nomes de vários inventores, pois cada êxito atingido com uma transmissão de sons era visto como a possibilidade de tal descoberta. O mérito da invenção, mesmo tendo sido reconhecida posteriormente a Antônio Meucci, estará eternamente associado ao nome Graham Bell.

A partir do conteúdo abordado, pudemos ter uma ideia do progresso alcançado por este aparelho junto às pessoas e empresas, não é? Você conseguiria se imaginar, hoje, sem um dispositivo desses por perto?

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER