Características dos Projetos Educacionais

Características dos Projetos Educacionais
PEDAGOGIA
A Pedagogia de Projetos é um caminho para transformar a escola em um espaço aberto à construção de aprendizagens significativas para todos que dele participam e o uso da internet, por meio de ambientes de aprendizagem colaborativa, auxiliará bastante na construção de conhecimentos, habilidades e valores dos alunos de hoje.

Assim possui algumas características que valem ser destacadas:
• cada grupo é único, portanto seu trabalho não deve ser comparado com outros ou replicado. O problema que será investigado surge da necessidade do grupo e está relacionado com as experiências e expectativas dos sujeitos que esse grupo representa;

• não há uma única realidade ou uma única verdade. O caminho escolhido por um grupo é diferente daqueles escolhidos por outros grupos, daí a necessidade de cada um encontrar a orientação necessária para o percurso;

• os participantes têm ritmos e estilos diferentes e que, por isso, é preciso dar tempo e condições ao grupo de se conhecer e construir o seu próprio ritmo;

• o grupo necessita acreditar nas suas potencialidades para que possa refletir, criar, descobrir, crescer e desenvolver-se na trajetória da construção do seu próprio conhecimento. Todos podem aprender com todos, inclusive o educador.

É fundamental a valorização da experiência que cada um carrega consigo na formulação do problema e no desenvolvimento do Projeto Educacional.

Assim, os projetos de trabalho, não se inserem apenas numa proposta de renovação de atividades, tornando-se mais criativas, e sim numa mudança de postura, o que exige um repensar da prática pedagógica, é, portanto, uma quebra de paradigma.

Quanto aos pressupostos metodológicos da Pedagogia de Projetos, veja os aspectos básicos que, de acordo com Fernando Hernández, devem ser levados em conta no desenvolvimento de um projeto educacional:
1) A escolha do tema: como foi apontada anteriormente a escolha do tema poderá ser realizada pelo professor, pelos alunos ou conjuntamente entre alunos e professor, o critério a ser seguido irá depender do grau de maturidade dos educandos.

O tema pode surgir da curiosidade dos alunos em aprender algo, de uma situação problema que esteja ocorrendo na escola ou na comunidade, de uma experiência vivenciada pelo grupo de alunos, por um fato da atualidade ou de uma questão suscitada a partir do projeto anterior.

2) A busca da interdisciplinaridade:
neste momento é de suma importância a competência pedagógica do professor em relacionar com base no currículo escolar quais as disciplinas, os conteúdos e as atividades que irão contribuir para uma maior compreensão dos alunos a respeito do tema selecionado.

O professor também planeja os recursos que serão empregados na realização do projeto Educacional, o tempo necessário para sua execução e o que será apresentado como resultado final do projeto, ou seja, a sua avaliação.

3) Elaboração do índice: nesta etapa, inicialmente cada aluno elabora um índice no qual especifica os aspectos que vai trabalhar no projeto. Em seguida é realizada a apresentação em comum dos diferentes aspectos de cada índice.

Entre os alunos são organizados grupos de estudos, que serão responsáveis pelo tratamento especial dos diferentes aspectos do tema escolhido.

A organização do índice implica em três momentos: primeiro cada aluno elabora seu índice, em seguida esse é ampliado na formação dos grupos onde os alunos socializam entre si os conhecimentos prévios a respeito do tema e, por fim, na conclusão dos trabalhos os alunos organizam o índice final para visualizar o ponto de partida e de chegada na construção do conhecimento.

4) A busca de informações: nesta fase todos os elementos do processo são envolvidos no projeto: professor, alunos e suas famílias. As informações coletadas devem completar e ampliar a visão do grupo sobre o tema selecionado. Quanto mais variadas forem as fontes de informações, melhor. As fontes podem constituir em material escrito, depoimentos, conferência de convidados, visita de campo, estudo do meio, reconhecimento do patrimônio histórico cultural e análise de objetos e artefatos antigos.

5) Realização da síntese:
ao final do tempo designado para a realização do Projeto Educacional, ocorre a ordenação e apresentação dos materiais organizados e elaborados pelos educandos. Esses resultados poderão ser apresentados na turma, em turmas diferentes ou numa exposição na escola onde as famílias e a comunidade em geral possam ter acesso.

A realização da síntese implica necessariamente por parte dos educadores na discussão sobre a avaliação do Projeto Educacional. Aqui a avaliação também ganha outra relevância, como verá logo mais.

Esses são os aspectos básicos para a realização de um Projeto Educacional um modelo a ser copiado. Cada projeto possui características peculiares. O tratamento dispensado às etapas irá depender da série dos alunos, do acesso às informações, dos materiais disponibilizados, do envolvimento dos responsáveis pelos educandos e principalmente do comprometimento da escola com essa proposta pedagógica.

É bom ressaltar que a aplicabilidade do Projeto Educacional não combina com práticas individualistas. Um professor sozinho pode querer desenvolver o ensino voltado para essa metodologia, mas se essa não for a opção da escola como um todo, mais cedo ou mais tarde ele acabará desistindo frente as dificuldades impostas pelo sistema e as estruturas arcaicas do espaço escolar.
A prática do Projeto Educacional é sempre uma prática coletiva, requer um trabalho coletivo, onde professores, profissionais da escola, desde vigia até o diretor e a comunidade estejam todos envolvidos e comprometidos com a aprendizagem dos educandos.

De acordo com Perrenoud:
"a gênese de um projeto é uma questão de representações partilhadas daquilo que os atores querem fazer juntos. Se não fizerem esse trabalho no início, deverão fazê-lo a seguir, na primeira divergência grave, na primeira crise. Se uma equipe não é capaz de dizer, explicitamente, o que a mantém unida, ela se desfaz ou regride a um simulacro diante dos primeiros obstáculos. Ora, articular representações é não abrir um espaço de livre discussão no projeto e antes do projeto, escutar as propostas, mas também decodificar os desejos menos confessos de seus parceiros, explicitar os próprios e buscar acordos inteligentes".

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER