O pesadelo terá fim?

O pesadelo terá fim?
ENFERMAGEM

O que muitos acharam que seria uma doença passageira acabou vindo e ficando, tornando-se uma pandemia, com números extremamente alarmantes e um risco real para a população mundial.

 

Neste artigo, você irá ver:

  • - Qual a situação do país em março de 2021;
  • - Linha do tempo da Covid-19;
  • - E o papel dos profissionais da saúde.

 

Com certeza, um texto impactante, mas necessário.

 

Uma ótima leitura e fique em casa!

Situação do país

Conforme dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em março de 2021, o Brasil vive o “maior colapso sanitário e hospitalar da história”. Em 17 de março de 2021 o mundo computa mais de 2,6 milhões de mortes, sendo mais de 10% somente no Brasil.

 

“O Boletim mostra que, no momento, das 27 unidades federativas, 24 estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%, sendo 15 com taxas iguais ou superiores a 90%. Em relação às capitais, 25 das 27 estão com essas taxas iguais ou superiores a 80%, sendo 19 delas superiores a 90%”, mostram os dados da Fiocruz.

 

Além disso, no Rio Grande do Sul os números chegam a marca de 100% dos leitos ocupados. Isso fazendo uma média entre o Estado inteiro, pois em diversas cidades a marca chega até mesmo a 130%.

 

Nunca antes na história a situação foi tão preocupante, e ao mesmo tempo, tão possível de ter sido evitada caso fosse feita uma ação preventiva real anteriormente e o problema tratado com a devida seriedade por todos os governantes.

 

Com certeza, esses são dados alarmantes e que não param por aí, pois, a média de pessoas vacinadas por dia no país é de cerca de 200 mil pessoas para a primeira dose e 100 mil para a segunda, o que faz, em um país de mais de 200 milhões de habitantes, o tempo para imunização geral chega a praticamente três anos.

 

Isso gerou uma verdadeira corrida por vacinas, tanto para produzi-las, quanto para comprá-las. Para saber mais sobre a corrida pelas vacinas, você pode ler a matéria da revista Radis, da Fiocruz, sobre o tema.

 

Linha do tempo

Segundo dados da Sanar, os primeiros casos de Coronavírus foram registrados em 8 de dezembro de 2019, em Wuhan, na China. Em 28 de janeiro de 2020 a Organização Mundial da Saúde (OMS) já alertava que existia risco de uma epidemia global.

 

Em 26 de fevereiro de 2020 foi registrado o primeiro caso no Brasil, um senhor de 61 anos, de São Paulo. Em 5 de março de 2020 foi registrada a primeira transmissão interna no Brasil, ou seja, a primeira contaminação gerada de um brasileiro para outro e não adquirida no exterior, como os demais casos.

 

Em 17 de março de 2020, foi registrada a primeira morte, em território nacional, por conta do Coronavírus. E, no mesmo dia, em Minas Gerais, foi registrado o primeiro caso de transmissão comunitária, ou seja, que não é possível saber onde a pessoa pegou o vírus.

 

Após isso, os números foram se agravando cada dia mais, até chegar ao colapso do sistema de saúde, vivido em 17 de março de 2021, um ano após a primeira morte brasileira pelo vírus.

 

Para entender melhor como se desdobra a linha do tempo da Covid-19, dia a dia, confira a linha do tempo completa do Coronavírus no Brasil, feita pela Sanar. Vale a pena ver esse desdobramento em toda sua profundidade para saber mais sobre a proliferação e comportamento do vírus no país.

 

Papel dos profissionais da saúde

Apesar dos números lamentáveis, a maior marca nessa história toda não são as vidas perdidas, que já somam milhões, ou a corrida pela vacina. O que ficou mais evidente em tudo isso foi a garra dos profissionais da saúde, que trabalham noite e dia, arriscando a própria vida para salvarem o máximo possível de pessoas.

 

Poucas vezes, na história do mundo, as pessoas viram tão de perto a importância de um médico, de um enfermeiro, de um leito, de uma vacina, de um tubo de oxigênio, ou simplesmente de uma seringa e agulha para aplicar o que pode mudar o destino de uma pessoa.

 

Para saber mais sobre a enfermagem na linha de frente contra a Covid-19, você pode ler o artigo sobre isso da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (EEP HCFMUSP).

 

Este artigo faz parte de uma série desenvolvida pela HCFMUSP, a qual aborda o trabalho dos profissionais brasileiros de saúde frente à pandemia.

 

O Portal Educação utiliza-se deste artigo para agradecer imensamente toda a luta e garra dos profissionais da saúde. E reafirmamos o nosso compromisso em fornecer sempre materiais de qualidade para mantê-los o mais qualificados possível.

 

Caso você queira aprofundar ainda mais seus conhecimentos sobre os procedimentos da enfermagem, então, uma ótima dica é o curso online de Procedimentos de Enfermagem do HCFMUSP.

 

Agora, resta a cada pessoa fazer a sua parte, para que possamos, juntos, superar essa crise e para que dias melhores possam chegar para todos.

 

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER