A planta Borragem (Borago officinalis L.)

A planta Borragem (Borago officinalis L.)
FARMACIA
Sua origem não é totalmente conhecida sendo, porém, considerada da região mediterrânea, por alguns autores, ou como nativa da Europa, Ásia Menor e África do Norte, por outros autores (LOPEZ-MARTINEZ, 2004).

Borago officinalis é uma planta anual, pertencente à família Boraginacae, que possui o caule ramificado e folhas sésseis lanceoladas, dispostas de modo alternativo. Na extremidade superior do caule aparecem hastes com flores violeta-azulado, as quais possuem a forma de estrela.

As partes utilizadas na terapêutica são as folhas, o caule, e principalmente as flores e o óleo das sementes. As folhas e flores são utilizadas para afecções respiratórias, alguns problemas renais e hepáticos, além de edemas e outros. O óleo possui ação anti-inflamatória e serve como preventivo para certas deficiências nutricionais, envolvendo ácidos graxos poli-insaturados. Possui constituição química complexa, sendo encontrado nas folhas e no caule: taninos, açúcares, saponinas, resinas e alguns alcaloides. Nas flores encontra-se grande quantidade de mucilagens. No óleo das sementes encontram-se diversos ácidos graxos, os quais podem ser saturados, mono ou poli-insaturados.

As folhas e caule de B. officinalis L. podem ser utilizadas na forma de decocto, infuso, tintura, extrato aquoso, extrato fluido; e no caso as flores, catapalsma. O óleo pode ser administrado oralmente, ou na forma de fitocosméticos, incorporando a xampus, cremes e loções.

Composição química
As flores podem conter até 30% de mucilagens. Nas folhas e no caule, encontram-se ácido salicílico solúvel, nitrato de potássio e outros sais, vitamina C, taninos, saponinas, traços de óleo essencial e alcaloides. Da semente é extraído um óleo rico em ácidos graxos.

Os alcaloides são encontrados na B. officinalis em pequenas quantidades, com teor total menor que 0,001%. Foram identificados nas folhas, flores e sementes 7 alcalóides pirrolizínicos saturados, derivados da tesinina, como compostos majoritários.

A hidrólise ácida com HCl (ácido clorídrico) aquoso, deste heterosídeo, resulta na liberação do açúcar e da genina do alcalóide. A hidrólise alcalina com NaOH (hidróxido de sódio) aquoso, resulta na liberação do éster glicosilado do ácido p-cumárico e do núcleo pirrolizidínico.

Da semente é extraído um óleo, o qual apresenta em sua constituição ácidos graxos saturados e insaturados, além de tocoferóis. Os tocoferóis são antioxidantes naturais eficientes, os quais demonstram efeitos in vivo e in vitro. Diversos pesquisadores vêm estudando este óleo, tanto para fins alimentares como para fins terapêuticos, devido a sua alta concentração de ácido γ-linolênico.

Atividades farmacológicas
Poucos estudos comprovam as ações farmacológicas atribuídas à Borago officinalis. Dentre as principais indicações consta o tratamento da bronquite, com a infusão de folhas, a decocção das folhas é indicada como: diurética, emoliente e sudorífica. Além da ação anti-inflamatória, adstringente, expectorante e tônica.

Sua ação anti-inflamatória é atribuída ao ácido γ-linolênico, o qual é um intermediário na síntese das prostaglandinas. Admite-se que os taninos e mucilagens, através da ação adstringente, atuem protegendo os tecidos irritados e inflamados.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER