EAS - Elementos Anormais de Sedimentoscopia

EAS - Elementos Anormais de Sedimentoscopia
MEDICINA

Exame Microscópico da Urina

O exame microscópico do sedimento da urina é de grandiosa valia, pois fornece informações muito úteis no diagnóstico e tratamento do paciente. O exame poderá avaliar a presença ou evolução de infecções, doenças e traumas do trato urinário, além disso, certos resultados como a presença de cristais anormais, podem sugerir uma desordem metabólica. Todas as amostras de urina devem ser analisadas o mais breve possível para evitar a deterioração celular e multiplicação de bactérias ou outro microorganismo.

Componentes do Sedimento Urinário

CÉLULAS SANGUÍNEAS:
Hemácias e leucócitos. A presença de grande quantidade de hemácias na urina é chamada de hematúria. A presença de raras hemácias é considerado normal. A presença de grande quantidade de leucócitos na urina é chamada de piúria. Até 8 piócitos por campo é considerado normal. A presença de hemácias em grande quantidade na urina pode acontecer em infecções do trato urinário, traumatismos, hemorragias de diversas origens, alguns tipos de câncer, estados inflamatórios e doenças renais. A presença de grande quantidade de leucócitos na urina pode acontecer em infecções do trato urinário, inflamações de diversas origens, doenças renais, alguns tipos de câncer, alguns tipos de DST e outras.

CÉLULAS EPITELIAIS:
As células epiteliais são constantemente descamadas do revestimento interno do trato urinário. As células do epitélio vaginal e uretral aparecem grandes, planas, com núcleo distinto e grande citoplasma. Células menos comuns no sedimento urinário são as da bexiga e túbulo renal. As do túbulo renal podem ser indicadoras de doença renal.

MICROORGANISMOS:
Os microorganismos que podem ser encontrados no sedimento urinário são principalmente: bactérias, leveduras e protozoários.
Bactérias - podem aparecer todos os constituintes da morfologia bacteriana. 
Leveduras - São de tamanho menor que as hemácias, porém são muito similares a estas. As leveduras são ovóides e podem ser observadas em brotação ou cadeia (hifas). A mais comumente encontrada no sedimento urinário é a Candida albicans.
Protozoários - Os protozoários do tipo Trichomonas são os mais comumente encontrados no sedimento urinário. È um protozoário flagelado transmitido sexualmente que provoca infecção do trato urinário e pode levar à infecção de vias superiores quando não tratada. Existem 2 tipos principais de Trichomonas vaginalis e Trichomonas hominis. Porém devido à extrema semelhança entre estes dois tipos, não é possível distingui-las ao microscópio, por isto utilizamos o termo "presença de Trichomonas sp".
Espermatozóides - São ocasionalmente observados em amostras de urina. São facilmente reconhecidos devido à sua morfologia característica. Devem ser mencionados somente em urinas masculinas, caso contrário, não mencionar a presença.

CILINDROS:
São formados quando a proteína se acumula e precipita nos túbulos renais e são levados pela urina. A presença de cilindros na urina pode indicar doença renal. Os cilindros são classificados conforme o material incluso neles. 

CRISTAIS:
Uma grande variedade de cristais pode ser encontrada na urina. A formação de cristais é influenciada pelo pH , densidade e temperatura da urina. Ainda que a maioria dos cristais não tenha significado clínico, existem alguns cristais que aparecem na urina por causa de alguma desordem metabólica.

Cristais de urina ácida (normal) - Uratos amorfos, ácido úrico, oxalato de cálcio.
Cristais de urina alcalina (normal) - fosfatos amorfos, fosfato triplo, carbonato de cálcio.
Cristais de urina considerados anormais - Cistina, leucina, tirosina, colesterol e sulfonamidas.

CONTAMINANTES OU ARTEFATOS:
Estes são elementos não originados do trato urinário que podem contaminar a urina, no momento da passagem da mesma pela uretra e pela vagina, ao ser expelido. A contaminação por elementos presentes no ambiente pode ocorrer durante a coleta, armazenamento e processamento da amostra. A identificação dos contaminantes é necessária para uma correta interpretação do resultado do exame e, também, para auxiliar no diagnóstico de doenças ou infestações.
Os principais contaminantes ou artefatos que podem ser observados no sedimento urinário são:

Espermatozóides: Estas células podem estar presentes tanto em amostras de urina de homens, quanto de mulheres. A presença de espermatozóides em amostras de urina de mulheres não deve ser relatada, por questões éticas, a não ser quando há solicitação explícita de comprovação de abuso sexual. Em amostras de urina de homens a presença de espermatozóides pode indicar espermatorréia, uma das causas de infertilidade masculina; nesses casos deve-se relatar a presença de espermatozóides. Esses são facilmente reconhecidos pela cabeça oval, com tamanho de 4 a 6 micra, e pela cauda de 40 a 60 micra de comprimento.

Leveduras: As células leveduriformes podem ser observadas no sedimento urinário devido à contaminação por secreção vaginal ou ainda por contaminação pela pele ou pelo ambiente. As leveduras estão presentes em secreções vaginais de indivíduos com infecção pelo fungo, freqüentemente em pacientes diabéticos e/ou imunossuprimidos. As principais leveduras observadas são Candida sp. Essas se apresentam como células ovóides, com tamanho de 5 a 7 micra, incolores e refringentes. Muitas vezes apresentam brotamentos, devido à germinação, e pseudohifas. Na transcrição do resultado a presença de leveduras deve ser relatada da seguinte forma: "Presença de células leveduriformes (pseudohifas) com aspecto morfológico de Candida sp".

Parasitas: O parasita que pode ser encontrado com maior freqüência no sedimento urinário é o Trichomonas vaginalis. Este protozoário é responsável por infecções vaginais e pode também infectar a uretra, a bexiga e a próstata. Nesses casos o protozoário poderá ser, também, observado em amostra de urina recente, sendo facilmente identificado pela motilidade. Por ser um protozoário flagelado e apresentar uma membrana ondulante, este se movimenta, girando no campo, sem direção. O parasita é ovóide, com a sua maior dimensão da ordem de 30 micra; apresenta um núcleo e alguns vacúolos citoplasmáticos, o que facilita a sua identificação, quando não está em movimento. O corante de Sternheimer-Malbin é utilizado para diferenciá-lo de leucócitos e/ou células epiteliais. Esses elementos se coram de roxo, enquanto o Trichomonas não se cora. Ovos ou larvas de parasitas também podem ser encontrados no sedimento urinário devido à contaminação fecal e por falta de assepsia adequada.

Diversos: No sedimento urinário podem ser encontrados também outros elementos contaminantes, tais como: grânulos de amido, fibras vegetais, bolhas de ar, gotículas de gordura, fragmentos de vidro, corantes, grãos de pólen, tecidos vegetais, pêlos, ácaros, asas de insetos, etc.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de EAS - Exame de Urina. Conheça também nosso portfólio de cursos na área da Medicina.

Louise Helena Schiatti Gonzaga
Diretora Técnica do Grupo Bio-Trabalho. 1ª Secretária Adjunta da Associação Nacional de Citotecnologia (ANACITO). Formação de Nível Médio em Citopatologia pelo INCA e EPSJV/Fiocruz. Formação de Nível Médio em Análises Clínicas pela ETEJK/Faetec. Graduando Ciências Biológicas pela UNIGRANRIO. Atuação Profissional como Citotecnologista no Laboratório Sergio Franco (DASA).
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER