Neurônio motor periférico

Neurônio motor periférico
MEDICINA

Os neurônios motores periféricos são as células nervosas responsáveis pela produção dos movimentos dos músculos e estão localizadas no corno anterior da medula espinhal ou núcleos dos nervos cranianos. Após a descoberta dos fusos musculares e seus respectivos neurônios motores, os mesmos foram divididos em dois tipos: alfa (grandes) e gama (pequenos).



Os neurônios motores alfa estão entre as maiores células nervosas, são multipolares, possuem inúmeros dendritos que se arborizam no corno anterior da medula espinhal. Os seus axônios originam as raízes anteriores, que formarão os nervos e irão inervar os músculos, recebem conexões oriundas das fibras primárias sensitivas e por intermédio de interneurônios, impulsos provenientes do córtex cerebral e dos núcleos do tronco cerebral.



Os neurônios motores gama estão dispersos entre os neurônios motores alfa, são menores e em grande número e em certas regiões chegam a proporção de 1:16.



Distribuição e Localização

Os neurônios motores estão dispostos com características peculiares no corno anterior da medula, as células situadas medialmente inervam os músculos do tronco e pescoço, as situadas na porção ventral medial estão presentes em toda a extensão da medula, exceto nos segmentos de C5 e cóccix 1. As situadas na porção lateral estão presentes principalmente na porção alargada da coluna cervical e lombar e inervam os músculos dos membros. Geralmente, as células que inervam os músculos distais são mias dorsais do que as que inervam os músculos proximais.


Unidade Motora:

A unidade motora é um neurônio motor alfa com seu axônio e fibras musculares que o inervam. Pode ser considerada a menor unidade funcional do aparelho locomotor. Quando o neurônio motor é estimulado, todas as fibras musculares que pertencem ao mesmo se contraem.
O número de fibras musculares que compõe a unidade motora varia conforme o músculo e a sua especialização na composição de determinado movimento, isto é, quanto mais delicado for o movimento menor será o número de fibras musculares por neurônio motor. A menor proporção ocorre nos músculos da laringe (1:1) e músculos oculares (1:3). No primeiro lumbrical da mão é de 1:108, no interosseo dorsal da mão é de 1:340, tibial anterior 1:600 e no gastrocnêmico 1:1600-1900.

Função Trófica:

Os neurônios motores são os responsáveis pela manutenção da estrutura metabólica e morfológica das fibras musculares que compõem a sua unidade. Este trofismo é mantido pelo corpo do neurônio, por intermédio de fatores tróficos, que são transportados para a periferia do axônio, através do fluxo axoplasmático. Este trofismo faz com que as células musculares mantenham o seu tamanho e o seu padrão bioquímico.



São os neurônios motores que induzem o padrão energético da fibra muscular (fibras tipo 1: oxidativas ou lentas e fibras tipo 2: glicolíticas ou rápidas). Os tipos de fibras musculares estão entremeados, formando um padrão que se assemelha a um tabuleiro de xadrez.



Quando este fator deixa de atuar, seja por fatores metabólicos, doenças do neurônio motor ou interrupção do nervo, as fibras musculares se atrofiam. Esta atrofia pode ser rápida em casos de transecção dos nervos ou lenta em casos de imobilização ou fatores metabólicos. Neste último caso, a fibra mais afetada é do tipo 2.



Quando existe interrupção da inervação em determinada área muscular, a unidade motora próxima captura as fibras remanescentes, modificando o seu padrão histoquímico e metabólico, aumentando a área de atuação da unidade motora.



Aspectos Neurofisiológicos:
Quando a unidade motora é ativada e o músculo se contrai, são gerados potenciais de ação, que podem ser capturados e registrados no espaço extracelular, através da eletromiografia.


Neste exame, a somatória dos potencias são transformados em sinais analógicos (gráficos), que representam as descargas de todas as fibras musculares pertencentes a unidade motora alfa. Dependendo do tamanho da unidade motora, os potenciais são de lata ou baixa voltagem e com duração aumentada ou reduzida. Esses parâmetros também sofrem influência da idade e da temperatura local.


Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER