Destino turístico: Ilhabela - SP

Destino turístico: Ilhabela - SP
TURISMO-E-HOTELARIA
Esse artigo é sobre um lugar no qual não lhe é possível estar sem sentir-se em meio ao paraíso, tamanha é a sua exuberância! Aqui você irá conhecer um pouco sobre Ilhabela, cujo arquipélago é composto por mais de dez ilhas e ilhotes. Um verdadeiro Paraíso! Localizado no litoral norte de São Paulo, é um dos lugares mais bonitos da costa brasileira. 

A ilha possui 36 km de praia, mais de 300 cachoeiras registradas, entre as quais há algumas de até 70 metros de altura, e mais de 30 quedas d’água. Algumas das praias são praticamente intocadas, por encontrarem-se em áreas de difícil acesso, o que é um prato cheio para aventureiros e amantes de ecoturismo.

Para quem curte (como nós) as atividades do segmento de turismo ecológico, conta com uma variedade de trilhas empolgantes e possibilidades de mergulhos em águas cristalinas.

Uma opção interessante é o passeio de escuna até a praia do Jabaquara, a paisagem é fantástica e você tem uma vista deslumbrante da ilha.

Tem mais? Tem sim: passeios de jeep, kyte surf, windsurfe, lancha, canoagem, rapel, tour ecológico, observação de pássaros, caminhada pela orla das praias e mais... muito mais!

O município é conhecido como Capital da Vela, pois graças a sua posição geográfica, esse Cantinho do Paraíso conta com fortes e constantes ventos que sopram no Canal de São Sebastião, favorecendo os esportes a vela, como windsurf e kitesurf.

Entre os eventos típicos da cidade estão “A semana Internacional da Vela”, a maior do gênero realizado na América Latina, que acontece em julho, e o Festival do Camarão, em agosto. Vale a pena ir apreciar!

E a badalação? Vale ir à Vila, que é o Centro Histórico da ilha, onde muitas famílias e amigos curtem suas noites nesse Cantinho do Paraíso, seja fazendo um passeio tranquilo pelas calçadas, ou para comer uma pizza, sushi ou uma deliciosa porção de camarão, e ainda celebrar a vista com aquele chopinho.

Ilhabela é perfeita para você que gosta de estar em harmonia com a natureza e deslumbrar-se com as muitas paisagens incríveis existentes pelos cantinhos do nosso planeta.

Aspectos Históricos

O arquipélago teve algumas de suas ilhas habitadas antes de ser colonizada pelos portugueses, o que é comprovado pelas pesquisas arqueológicas realizadas pelo Projeto Arqueológico de Ilhabela, que já identificaram no território do município mais de dez sítios arqueológicos pré-coloniais, ou seja, locais que foram habitados por seres humanos antes de 1500, os índios.

Os fragmentos arqueológicos recolhidos integram o acervo do Instituto Histórico, Arqueológico e Geográfico de Ilhabela.

Em 20 de janeiro de 1502 chega a Maembipe uma expedição portuguesa comandada por Gonçalo Coelho, composta por três caravelas, dentre as quais estava o navegante italiano Américo Vespúcio. Esse dia era consagrado pela Igreja a São Sebastião, e por isso, rebatizaram a ilha com seu nome.

Porém, apenas em 1608 se estabeleceram os primeiros colonos (sesmeiros) nas margens do canal de São Sebastião (antigamente denominado Toque-Toque). A principal atividade exercida por eles era o plantio da cana e a produção de açúcar, cuja mão-de-obra era escrava.

Aos poucos formou-se um povoado, que se emancipou em 16 de março de 1636 da Vila de Santos, passando a se chamar Vila da Ilha de São Sebastião, depois Vila de São Sebastião da Terra Firme e posteriormente Vila de São Sebastião. Tendo a Ilha de São Sebastião integrada a ela, assim permaneceu até o início do século XIX.

Durante esse período, as águas do Litoral Norte foram intensamente exploradas por corsários e piratas, vindos da Europa e da Argentina, o que além de originar várias lendas, motivou a construção de um sistema para defesa das vilas Bela da Princesa e de São Sebastião, cuja espinha dorsal era constituída por sete fortificações erguidas nas duas margens do Canal do Toque-Toque.

Na segunda metade do século XVIII houve aumento significativo da população na Ilha de São Sebastião. Por volta de 1785, esse povoado foi elevado à condição de capela, que era o primeiro estágio de um povoamento, recebendo o nome de Capela de Nossa Senhora D' Ajuda e Bom Sucesso.

No final do século XVIII, com o ciclo do açúcar em crise, os líderes da Ilha de São Sebastião pleiteavam a emancipação do território abrangido pela ilha, dando origem a um movimento que tinha na liderança: o capitão Julião de Moura Negrão, o alferes José Garcia Veiga, o senhor de engenho Carlos Gomes Moreira, e outros 27 proeminentes moradores da ilha.  Em consequência disso, o capitão-general da Capitania de São Paulo Antônio José da Franca e Horta, baixou uma portaria determinando a elevação da capela à condição de vila, que passaria a chamar-se Vila Bela da Princesa em 3 de setembro de 1805.

Após sua emancipação, Vila Bela da Princesa experimentou 80 anos de grande poder econômico, graças à agricultura, principalmente a produção do café. A população rapidamente ultrapassou o número de 10 mil habitantes. Os fazendeiros enriqueceram e o comércio prosperou.

No entanto, a Abolição da Escravidão, em maio de 1888, foi o fator essencial à inviabilização da produção do café, já que não poderiam mais contar com essa mão de obra.

Somente no início do século XX é que a Ilha obtém novo fôlego econômico por causa da produção de cachaça, já com engenhos instalados na Ilha de São Sebastião, cuja produção se encerra definitivamente em meados da década de 1970.

Em 1º de janeiro de 1939, Vila Bela da Princesa passou a denominar-se Vila Bela. Após um ano, o então presidente da República, Getúlio Vargas determinou a mudança do nome para Formosa, cuja formalização se deu em 4 de maio de 1940. Um movimento popular levou o governo a mudar o nome do município para Ilhabela, o que passou a vigorar em 1º de janeiro de 1945.

Com a melhoria das estradas de ligação entre São José dos Campos, Caraguatatuba e São Sebastião,turismo começou a ter importância econômica em Ilhabela e na região a partir da década de 70.  Já a pavimentação da SP-55 (Rodovia Dr. Manoel Hypólito do Rego) na década de 1980, alavancou a construção civil voltada para edificação de residências de veraneio.

Entre os atrativos turísticos de Ilhabela, está o Museu Náutico, onde você poderá prestigiar um pouco da "recordações" da ilha. Ele retém um rico acervo que conta a história do fundo do mar de toda a região, visto que Ilhabela concentra um dos maiores números de naufrágios do país. Têm nele mais de 250 peças, entre as quais algumas datadas do século XVIII, outras retiradas do fundo do oceano e algumas pertencidas aos antigos caiçaras que chegaram a presenciar os naufrágios.

Vale a pena conferir esses “vestígios históricos”. É sensacional, permitindo-nos uma deliciosa viagem no tempo. Imagine os indígenas locais avistando as caravelas se aproximando... ou os portugueses encantados com a paisagem e curiosos por seus habitantes! Fascinante!!! Quer mais que estar em um Cantinho do Paraíso que além de possuir paisagens paradisíacas, ainda foi palco de piratas!? E os fortes!?

AS PRAIAS 

Praia Grande

Praia do Viana

 Praia do Julião

Praia da Pacuíba

Praia da Armação

Praia do Curral

Praia de Santa Tereza

Praia do Itaquanduba

Praia do Itaguaçu

Praia da Feiticeira

Praia de Castelhanos

Praia do Veloso

Praia do Sino

Praia Saco da Capela

Praia do Portinho

Praia do Oscar

Praia do Eustáquio

Praia do Bonete

Praia da Fome

Praia do Jabaquara

Praia Engenho D'água

Praia do Perequê

Ilha das Cabras

AS TRILHAS

Trilha do Poço

Trilha da Cachoeira da Laje

Trilha da Toca das Furnas

Trilha da cachoeira dos Três Tombos

Trilha do Pico de São Sebastião

Trilhas das Praia Mansa

Trilha da Praia Vermelha e Figueira

Trilha do Bonete e Anchovas

Trilha do Estevão

Trilha da Cachoeira do Gato

Trilha da Cachoeira da Lage Preta

Trilha da Água Branca

Trilha do Pico do Baepi

Trilhas das Cachoeiras do Couro do Boi e Friagem

MATA ATLÂNTICA

Essa floresta é o bioma mais rico em biodiversidade de todo o planeta, o que significa que abriga fauna e flora únicas e vasta. Conta com 83% de sua área preservada pelo Parque Estadual de Ilhabela. Apresenta um clima quente e úmido durante todo o ano.

Em meio as várias trilhas, é possível que você se depare com diferentes espécies de animais, como por exemplo: macacos, lontras, jaguatiricas, lagartos e vários outros.

Além da diversidade de anfíbios, mamíferos, répteis e claro, insetos, a mata abriga mais de oitocentas espécies de aves, que podem ser facilmente percebidas por seu canto e observada por sua beleza.

A grande maioria das espécies catalogadas como sendo da Mata Atlântica é endêmica, ou seja, esses animais só existem e sobrevivem no ambiente natural desse tipo de floresta.

Ilhabela, é sem dúvida, um lugar  fantástico, onde ótimas experiências o esperam! Caso queira acrescentar alguma informação, fique à vontade para deixar nos comentários abaixo. 

Juliete Vasconcelos
Turismóloga e Guia de Turismo Regional pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio; Técnica em Agenciamento de Viagens com Habilitação para Credenciamento de Guia Regional, Nacional e América do Sul; Pós-graduanda em Geografia, Meio Ambiente e Sustentabilidade; Escritora de romances policiais e resenhista no blog Literaleitura.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER