Corte Parcial da Orelha

Corte Parcial da Orelha
VETERINARIA
Partindo do princípio que os cães primitivos e os selvagens tinham o pavilhão auricular ereto e em forma de concha, o homem, ao longo do tempo, reconheceu que esta realidade beneficia as condições de proteção e audição. Talvez seja esta a real intenção do homem em formatar orelhas grandes e pendentes em conchas eretas em algumas raças, propiciando além de um corte estético, o fator proteção.

O aumento do tamanho das orelhas dos cães ocorreu com o tempo e isso talvez tenha sido na intenção de fechar o conduto auditivo para diminuir a audição nos cães de caça, para não se distraírem do faro como é o caso do Basset Hound, Bloodhound, Cocker Spaniel, entre outros, resultando em maiores problemas nas orelhas e conduto auditivo, como otites (infecção nos ouvidos), fungos, sarnas, otematomas (descolamento da cartilagem por hemorragia auricular), injúrias, dilacerações, alopecia, sangramento, miíases (bicheira), surdez e dermatites.

Percebemos que orelhas pendulares são sempre alvos fáceis e com pouca chance de defesa, acarretando em uma maior incidência de problemas. Um cão doméstico com orelhas pendulares se fosse solto na natureza provavelmente morreria rapidamente, pois qualquer ferimento no pavilhão, atrairia insetos, moscas, e fatalmente uma miíase ocorreria, levando o animal a morte em pouco tempo.
Raças

Schnauzers, Pinscher, Boxer, Dobermann, Dog Alemão, Pit Bull, Dogo Argentino, Mastin Napolitano, Grifon de Bruxelas, American Stafordshire Terrier.

Indicações


• Traumatismo em ponta de orelha

• Deformidades no pavilhão auricular(brigas, acidente, miiases)

• Deformidades decorrente de otematoma

• Remoção de tumores (carcinoma epidermóide em gatos)

• Auxiliar no tratamento do conduto auditivo

• Estética

Vantagens da conchectomia

• Novos Movimentos: Cortando parcialmente o pavilhão, se promovem três movimentos das orelhas, o da ereção, abaixamento e rotação, dando condição ao cão de espantar insetos, se proteger de mordida de outros cães, melhorar a audição, diminuir as chances de proliferar fungos, sarnas e bactérias que induzem a otite.

• Cães que mergulham: Em cães que tem habilidade de mergulhar como o Pit Bull, as orelhas cortadas promovem uma condição ideal para a oclusão total do conduto auditivo, observamos então que o cão que tem orelhas cortadas tem melhor desempenho ao mergulhar do que o cão que tem as orelhas integras.

• Estética: A partir do momento em que o homem começou a cortar o pavilhão auricular na intenção de diminuir e modificar o formato da orelha, automaticamente a evolução estética deste procedimento vem se tornando uma realidade, a ponto de ser considerado por muitos uma obra de arte, enaltecendo a expressão de muitos cães, que por vezes não tinham tal expressão definida por falta de qualidade na conformação.

• Melhora na rotina diária: Em muitos casos é feita a prática do corte de orelhas em cães mestiços, em geral no interior, com o intuito de beneficiar a condição de defesa do cão para a lida no dia a dia com animais.

• Aumento da Imunidade: Alguns autores alegam que o corte das orelhas aumenta sensivelmente a imunidade do cão contra vírus do tipo Cinomose, Parvovirose entre outros.
Idade

A conchectomia realizada na faixa de 55 a 75 dias de idade do filhote favorece e facilita o levantamento precoce, e aos 90 dias ou mais, este se torna mais difícil ou até impossível, pois se forma uma dobra ou "quebra" na cartilagem.

Efetuar a conchectomia na idade jovem, com o filhote em boas condições de saúde, onde todo o procedimento é facilitado, desde a cicatrização até a colocação das orelhas na posição correta, sem dúvidas é muito melhor comparado a conchectomia feita como tratamento em cães adultos que sofrem perda parcial do pavilhão.

Cães de pequeno porte como Schnauzer, Pinscher: 120 dias.

Cães de médio porte: Boxer, Dobermann, 60dias e Pit Bull com 60 a 120 dias.

Cães de grande porte como Dog Alemão, Mastim Napolitano: 50-70 dias.

Sedação associada à anestesia local.

Técnica

Após a anestesia faz o posicionamento de uma pinça para corte de orelhas de acordo com o local onde irá incisar com bisturi. O sangramento é totalmente controlado com eletrocautério, e com sutura com fio inabsorvível em toda sua extensão, facilita-se um correto posicionamento e cicatrização.

É um procedimento feito em torno de 30 minutos, podendo o filhote retornar para sua residência logo que a cirurgia termina.

Pós-operatório

Usar colar elizabetano

Bandagens com esparadrapo com troca semanal

Antibiótico e antiinflamatório

Os pontos devem ser removidos sete dias após a cirurgia.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER